segunda-feira, 21 de março de 2011

Fashion Week causa frisson em São Paulo

                 Collci                                                       Iódice

A proposta deste ano é comemorar o “debut” do evento, relembrando que o SPFW surgiu para reinventar a moda brasileira.


Um dos mais importantes eventos do Brasil e do mundo está “abalando as estruturas” da Capital paulista, o São Paulo Fashion Week, que começou no dia 28 de janeiro e vai até 2 de fevereiro, na Fundação Bienal São Paulo, está trazendo um mix de propostas para comemorar os 15 anos do Fashion Week.

Este ano, o País contempla a 30ª edição do SPFW com muito glamour, badalação de celebridades e a inovação dos estilistas. As coleções outono/inverno 2011, não só abrilhantam as passarelas, como ressaltam a cultura da moda brasileira.

A estréia aconteceu em grande estilo:

A grife Animale, que apostou no minimalismo, com um mix de tecidos leves e pesados na passarela, trouxe tons que predominaram, como o branco, o bege, o marrom e o preto; a Forum apresentou uma coleção geométrica e com saias volumosas.  As peças de couro e tricô dividiram espaço com paetês, que através de um trabalho tecnológico, criou-se o efeito de veludo molhado; Samuel Cirnansck teve em sua coleção o couro, a renda, a lã e o cetim, criando looks para o dia-a-dia; a Triton encerrou a noite de desfiles com matelassês, brocados, metais e peles “fakes”.

No segundo dia de desfile Reinaldo Lourenço abusou nos decotes e trouxe a reinvenção dos terninhos e smokings - sempre valorizando a silhueta feminina; a Ghetz, estreante nas passarelas de São Paulo, apresentou o tricô, o plissado e a geometria nas peças e estampas; já a Ellus apostou na tecnologia, com um desfile em 3D. Brilho não faltou nas roupas da grife, que teve jeans com glitter preto, vestidinhos decotados e microshorts de paetês, que  combinaram com botas pesadas de couro; a Neon, através de muita cor, apresentou o surrealismo - que ganhou formas em vestidos amplos com silhuetas de figuras femininas desenhadas, com brincos, pulseiras e anéis aplicados, em um estilo “africano chique”; a Amapô fez uma mistura de tecidos com tricô e patchwork de veludo, que acabaram distinguindo a moda exclusiva da grife; e o encerramento ficou por parte de Alexandre Herchcovitch com uma coleção inspirada no lado dark da natureza e rochas vulcânicas, que resultaram em peças de silhueta austera, tons sóbrios, como preto e cinza, em vestes de  lã, tricô, chiffon e renda.

O terceiro dia foi marcado pelos tecidos com jérsei, seda, lã e couro, com os modelos de Iódice, que apostou no apelo fetichista; Juliana Jabour deu destaque para o grunge, com direito a camisa xadrez com alfaiataria sexy; a Cori arriscou em saias plissadas, paletós alongados e shorts-saias com fendas; a Osklen deu destaque a peças monocromáticas com cores fortes e golas gigantes, que destacaram as criações; a Colcci finalizou a noite com itens justos e curtos, representados pela moda jovem, através de saias, blusas, calças skinny, jaquetas e camisas.
Já em três dias foi possível ver muita coisa, mas muito mais vem por aí na semana de moda.

CONFIRA O LINE-UP DESTA EDIÇÃO:

Sexta 28.01
17h30 – Animale
19h00 – Tufi Duek
20h15 - Samuel Cirnansck
21h30 – Triton
Sábado 29.01
12h30 – Reinaldo Lourenço
14h30 – Ghetz
16h - Alexandre Herchcovitch (feminino)
17h30 – Neon
20h – Amapô
21h30 – Ellus
Domingo 30.01
13h – Iódice
16h – Juliana Jabour
17h30 – Cori
19h – Osklen
21h – Colcci
Segunda 31.01
14h – Huis Clos
16h30 – Maria Bonita
18h – Ronaldo Fraga
19h – V.Rom
20h30 – Reserva
Terça 01.02
15h30 – Do Estilista
17h – Ana Salazar
18h30 – FH por Fause Haten
19h30 – Jefferson Kulig
21h – Lino Villaventura
Quarta 02.02
13h – Gloria Coelho
15h30 – João Pimenta
17h – Alexandre Herchcovitch (masculino)
18h30 – Fernanda Yamamoto
20h – André Lima
21h30 – Cavalera

Fotos: Agência Fotosite

Letícia Mota/ Redação nação Z

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...